Quem sou eu

Formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pós-graduado em Finanças pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, em Mercados de Capitais pela Universidade Cândido Mendes/Bolsa Brasileira de Futuros e em Interpretação de Conferências pela PUC-Rio.

Tradutor Público e Intérprete Comercial de inglês registrado na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro sob o nº de matrícula 185. Membro da Associação dos Tradutores Públicos do Rio de Janeiro. Tradutor e intérprete do Superior Tribunal de Justiça, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, da Procuradoria Geral da República, da Procuradoria Geral da República no Rio de Janeiro, do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Ministério da Justiça.

Tradutor cadastrado nos consulados norte-americano e britânico do Rio de Janeiro.


Experiência profissional

Aprovado no concurso para Tradutor Público e Intérprete Comercial (tradutor juramentado) promovido pela Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro em 2009 em 3º lugar na classificação geral do idioma inglês, com a maior nota de versão (português/inglês) e com nota máxima na prova oral. Desde 2010 presta serviços de tradução juramentada ou convencional e de interpretação consecutiva ou simultânea, português/inglês e inglês/português.

 

De 2009 a 2011, como consultor independente:

  • Atuou (2009-2011) como Ouvidor da Gestora de Recebíveis Tetto Habitação S.A., recebendo e processando reclamações, sugestões, elogios ou pedidos de informação, e lhe deu assessoria na implantação de Sistema de Gestão da Qualidade conforme a norma ISO 9001:2008;
  • Preparou estudos de viabilidade econômico-financeira dos empreendimentos imobiliários Blue Center e Royal Blue, no Rio de Janeiro, para a Catisa Empreendimentos e Participações Ltda. (valor geral de venda conjunto de R$290 milhões);
  • Preparou estudo de viabilidade econômico-financeira para uma usina-piloto de geração solar de eletricidade da empresa Limpa Energias.

De 2005 a 2008 na Gestora de Recebíveis Tetto Habitação S.A., no Rio de Janeiro:

Como Diretor de Finanças e de Controle, liderou uma equipe de 12 profissionais, respondendo por todas as atividades de tesouraria, controle financeiro e gestão de qualidade.

De 2002 a 2005 atuou como consultor independente. Entre outros projetos, realizou:

  • Avaliação qualitativa dos ativos mobiliários da PRECE, fundo de pensão dos empregados da CEDAE – Cia. Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro;
  • Reestruturação organizacional da Diretoria Financeira do POSTALIS – Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos;
  • Assessoria à Fernando Motta Auditores Independentes na auditoria de gestão da PREVI-Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil;
  • Assessoria à norte-americana CMS Energy na avaliação econômico-financeira e venda de seus ativos de distribuição de eletricidade no Brasil;
  • Redação (em inglês) de um estudo sobre a escassez de crédito para pequenas e médias empresas no Brasil para a DAI Brasil, subsidiária local da consultoria norte-americana Development Alternatives Inc. – DAI;
  • Assessoria à Universidade de Maryland (EUA) em pesquisa de campo no Brasil sobre o crédito para micro, pequenas e médias empresas;
  • Consultor financeiro da Usina Siderúrgica do Ceará, encarregado da sua avaliação econômico-financeira (R$700 milhões);
  • Professor da cadeira de Gestão Financeira e Transparência do curso de pós-graduação em Gestão Estratégica para Organizações do Terceiro Setor da Faculdade Salesiana de Vitória (2004).

De 2000 a 2001 na Fundação Sistel de Seguridade Social, no Rio de Janeiro:

Como Superintendente de Controle da Diretoria do Plano Telemar (fundo de pensão dos da maior companhia telefônica do Brasil, atual Oi), era membro do Comitê da Diretoria e por ela respondia na ausência do Diretor. Chefiou uma equipe de três pessoas. Participava das decisões de investimento e de planejamento estratégico da Diretoria; realizava o controle diário do fluxo de caixa e do cumprimento das políticas e diretrizes de investimento, da rentabilidade e do risco da carteira de investimentos (R$ 2 bilhões). Paralelamente ao desempenho de suas funções usuais na Sistel, representou a entidade no Conselho de Administração da LF Tel Participações Ltda., companhia da qual a Sistel era acionista

De 1999 a 2000 no Banco BRJ S/A, no Rio de Janeiro:

Como Assessor da Presidência, era membro do Comitê Executivo da instituição. Responsável pelo controle diário do fluxo de caixa da instituição e pela elaboração da proposta de renegociação do passivo da ordem de R$ 550 milhões.

De 1995 a 1998 na Worldinvest Empreendimentos, Consultoria e Participações Ltda., no Rio de Janeiro:

Como Gerente e depois Sócio, realizou a avaliação econômico-financeira de empresas e a avaliação e gerenciamento de projetos, atendendo a clientes nacionais e estrangeiros. Chefiou uma equipe de três profissionais. Principais avaliações econômico-financeiras:

  • Da Ferronorte (ferrovia no Mato Grosso do Sul com investimentos da ordem de R$ 1 bilhão) para um grupo de grandes fundos de pensão;
  • Da Ferronorte (revisão) e da Novoeste (ferrovia em São Paulo) e a estruturação financeira do processo de fusão das duas companhias (R$ 500 milhões);
  • Da Fepasa (ferrovia do Estado de São Paulo) e a estruturação financeira do consórcio vencedor da sua privatização (R$ 200 milhões).
  • De 1996 a 1997, paralelamente ao desempenho de suas funções usuais na Worldinvest, foi Diretor da Ouromin Mineração Ltda., companhia da qual a Worldinvest era acionista em associação com investidores estrangeiros. Estruturou a empresa e cuidou da administração de seus recursos até a transferência da sede da Ouromin para Brasília.

De 1991 a 1995 no Banco BRJ S/A, antes BRJ Crédito Imobiliário S/A, no Rio de Janeiro:

Como Assessor da Diretoria, atuou em serviços de consultoria ao BNDES para fins de privatização no âmbito do Programa Nacional de Desestatização (Rede Ferroviária Federal, Cobra Computadores).

De 1988 a 1991 na Senso Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S/A no Rio de Janeiro
:

Como Estagiário e depois Coordenador Técnico, integrou e depois chefiou a Divisão Técnica, estudando opções de investimento para a casa e seus clientes.


Serviços

I) Tradução (inglês/português) e Versão (português/inglês)

A) Juramentada

Os preços da tradução/versão juramentada são determinados pela Junta Comercial de cada estado. A Deliberação nº 91 da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (JUCERJA), de 21/12/15, estabelece preços por lauda de 1.000 caracteres (excluindo espaços). A lauda inicial tem um preâmbulo com as qualificações do tradutor e a tradução/versão deve incluir uma descrição do documento (selos, carimbos, timbres, assinaturas etc.), incluindo o verso.

A versão é mais cara do que a tradução. Os (i) textos de alta complexidade técnica ou dificuldade de leitura (com gramática ou ortografia deficientes, tratando de mais de uma área técnica especializada, parcialmente ilegíveis etc.) são os mais caros, seguidos dos (ii) textos especiais (com expressões técnicas, jurídicas ou científicas: diplomas, currículos e históricos universitários, históricos escolares, patentes, peças e decisões judiciais em geral, contratos mercantis em geral etc.) e (iii) dos textos comuns (passaportes, certidões de registro civil, carteiras de identidade e de habilitação profissional etc.).

Esta é a atual tabela de preços da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (*):

Serviços

R$/lauda

Traduções Comuns           40,00
Traduções Técnicas, Jurídicas e Científicas           53,00
Traduções de Alta Complexidade e Leitura Difícil           71,00
Versões Comuns           46,00
Versões Técnicas, Jurídicas e Científicas           62,00
Versões de Alta Complexidade e Leitura Difícil           82,00

Os preços acima têm por base o prazo de referência de duas laudas por dia útil. Aos prazos mais rápidos se aplica tarifa de urgência, com acréscimo de 50% sobre os valores unitários normais. Se for preciso trabalhar fora do horário comercial usual (à noite, durante feriados ou fins de semana), aplica-se tarifa excepcional, com acréscimo de 100% sobre os valores unitários normais. Independentemente do prazo, vias adicionais da tradução/versão custam 5% do preço do serviço inicial se solicitadas concomitantemente a ele ou 35% se pedidas posteriormente .

Como a contagem se faz com base no texto final (em inglês ou em português, conforme o caso), só se sabe o preço certo depois de pronto o trabalho, podendo haver podendo haver significativa variação no preço final relativamente a qualquer orçamento anteriormente fornecido.

Traduções/versões juramentadas são sempre físicas: a tradução/versão deve ser impressa, carimbada e assinada pelo tradutor. O verso da última página do original também será carimbado e assinado, recebendo o mesmo número da tradução/versão. Em princípio, o original e a tradução/ versão correspondentes devem ser exibidos às autoridades pertinentes. A tradução/versão mencionará expressamente ter sido feita com base em original, cópia simples ou autenticada, cópia digital etc.

* Os preços ou o número de caracteres por lauda podem ser alterados a qualquer momento pela JUCERJA, prevalecendo sempre aqueles em vigor, independentemente das explicações  acima.

B) Não Juramentada

Os preços dos serviços convencionais (não juramentados) podem ser livremente negociados. Em princípio, sigo os valores de referência do Sindicato Nacional dos Tradutores (SINTRA): 38 centavos por palavra para tradução e 48 centavos por palavra para versão. Tais valores podem ser reduzidos ou majorados em função da complexidade do texto e do prazo.

 

II) Interpretação

Classicamente, considera-se haver duas modalidades de interpretação. Na interpretação consecutiva, o intérprete ouve, calado, o orador por certo tempo, uns poucos minutos, e depois, à frente do público, reconstrói o discurso do orador em outro idioma, provavelmente com a ajuda de notas, enquanto o orador permanece em silêncio, um falando consecutivamente ao outro. Na interpretação simultânea, o intérprete, instalado numa cabine fechada equipada com um transmissor de som, fala ao mesmo tempo em que o orador, sendo a sua interpretação captada por quem utilizar um receptor.

Certos autores reconhecem uma terceira modalidade, a interpretação sussurrada. Trata-se de uma variante da simultânea: o intérprete fala simultaneamente ao orador, em voz baixa, diretamente no ouvido do interlocutor, sem o auxílio de qualquer equipamento.

A interpretação simultânea é a modalidade tipicamente utilizada em conferências, sendo por isso frequentemente também chamada de interpretação de conferências . A consecutiva é utilizada em eventos menores ou em caso de falha do equipamento de transmissão/recepção.

A) Juramentada

A interpretação juramentada normalmente ocorre nas modalidades consecutiva ou sussurrada, sendo utilizada, por exemplo, em audiências judiciais e casamentos e na celebração de escrituras públicas de qualquer tipo. Como ocorre com a tradução/versão juramentada, a interpretação também é regulada pela JUCERJA na já citada Deliberação nº 91.

O preço é de R$380 por hora, contando-se o tempo em quartos de hora a partir do horário oficialmente marcado para o início do ato e com pagamento mínimo equivalente a uma hora. Cada quarto de hora adicional custa R$100. Sendo o serviço prestado fora do horário comercial, a taxa horária será majorada em 50%.

Caso o serviço não venha a se realizar, sendo o intérprete dispensado com antecedência menor que quatro horas, será cobrado o valor correspondente a 50% dos emolumentos que viriam a ser devidos. Em qualquer outra hipótese de dispensa com antecedência inferior a quatro horas da hora marcada para o início do serviço, será devido, no mínimo, o equivalente a uma hora, ainda que o intérprete não tenha chegado a efetuar qualquer trabalho.

B) Não Juramentada

Também nos serviços de interpretação não juramentada, sigo os valores de referência do Sindicato Nacional dos Tradutores (SINTRA):

Modalidade Duração da jornada Número de Intérpretes Valor em R$ por um intérprete por dia
1. Simultânea Até 6 horas (indivisíveis) 2 intérpretes 1.600,00
Simultânea Até 1 hora 1 intérprete 1.977,00
Sussurrada Até 6 horas (indivisíveis) 2 intérpretes 1.500,00
1 hora extra Acréscimo até a 7a hora ou fração 400,00
2 horas extras Acréscimo até a 8a hora ou fração 800,00
2. Consecutiva (em conferência) Até 2 horas 1  intérprete 1.977,00
3. Acompanhamento (EXTERNO) Até 6 horas (indivisíveis) 1 intérprete 1.600,00

ATENÇÃO: O cliente é responsável exclusivo pela contratação de todo o equipamento necessário à interpretação simultânea e/ou dos intérpretes adicionais. A tabela do SINTRA pode ser alterada a qualquer momento, prevalecendo sempre os valores em vigor independentemente daqueles aqui apresentados.


Publicações

I) Livros

Você não nasceu sabendo
Autor. São Paulo: Ed. Matrix, 2010

Sal de fruta tem sal? E tem fruta? Por que um S cortado é o símbolo universal do dinheiro? Cunhado é parente? Você não nasceu sabendo responde de forma bem humorada a esses e outros mistérios insondáveis do universo. Deleite-se aqui.


Alfabetização Financeira
Autor. São Paulo: Ed. Novatec, 2009

Minha renda de fato suporta meu padrão de vida? Qual é minha capacidade de poupança? É melhor comprar à vista ou a prazo? Quais são as taxas de juros escondidas nas várias opções a prazo? Alfabetização Financeira ensina o leitor a responder a essas perguntas, fornecendo-lhe conhecimentos essenciais para controlar seu orçamento doméstico e tomar decisões econômico-financeiras inteligentes. Conceitos básicos de percentagens, contabilidade e matemática financeira são explicados de forma didática, em linguagem simples e com inúmeros exemplos, sem a necessidade de prévio conhecimento técnico. Inclui uma planilha Excel que aplica os conhecimentos transmitidos e funciona como uma ferramenta de preparação e acompanhamento do orçamento. Salve-se aqui.


(F)utilidades – mistérios do dia-a-dia explicados
Autor. São Paulo: Ed. Matrix, 2006

Impressoras “laser” têm mesmo “laser”? “Tutti frutti” tem gosto de quê? Por que o minuto tem 60 segundos, a hora tem 60 minutos e o dia tem 24 horas? (F)utilidades responde de forma bem humorada a esses e outros enigmas do cotidiano. Delicie-se aqui.


Regulamentação das microfinanças
Co-autor, com Paulo Haus Martins e Renata de Carvalho Salles. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 2002. Baixe aqui (pdf).


Sistemas de informação para microfinanças
Colaborador, com Marcos Alberto Neme Ferreira. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 2002. Baixe aqui (pdf).


II) Artigos

A melhor cadeia do mundo
Publicado em agosto de 2010 na revista Superinteressante.

Presídio de segurança máxima na Noruega tem celas com TV de cristal líquido e frigobar - e nada de grades nas janelas. Informe-se aqui.


Custo de carregamento
Publicado em 13.03.09 no site Investmaníacos.

No nosso dia-a-dia, não costumamos perceber que sempre há um custo de oportunidade inerente às nossas decisões financeiras. Ilumine-se aqui.


Preços relativos
Publicado em 10.03.09 no site Dinheirama.

Está caro ou barato? Depende. Eduque-se aqui.


Condições legais para o funcionamento de entidades intermediárias de microcrédito (apex institutions) no Brasil
Co-autor, com Paulo Haus Martins.Anais do II Seminário do Banco Central sobre Microcrédito. Belém, 2003.

Quer saber mais? Aborreça-se aqui.


Entrevistas

2010

Jô Soares entrevista Andrei Winograd
28/05/10
Parte 01


Jô Soares entrevista Andrei Winograd
28/05/10
Parte 02


2006

Jô Soares entrevista Andrei Winograd
17/10/06
Parte 01


Jô Soares entrevista Andrei Winograd
17/10/06
Parte 02


Jô Soares entrevista Andrei Winograd
17/10/06
Parte 03


Entrevista ao Programa Sem Censura
18/05/06
Parte 01


Entrevista ao Programa Sem Censura
18/05/06
Parte 02


Links

1. Lista dos tradutores juramentados do Estado do Rio de Janeiro.

2. Tabela de preços da JUCERJA (Deliberação nº 91, de 21/12/15).

3. Instrução Normativa nº 2, de 05.12.2013, do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração, que institui modelo anexo de Carteira de Exercício Profissional para titular de empresário individual, administrador de sociedade empresária ou de cooperativa, tradutor público e intérprete comercial, leiloeiro, trapicheiro e administrador de armazém geral.

4. Instrução Normativa nº 17, de 05.12.2013, do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração, que dispõe sobre a matrícula e hipóteses de seu cancelamento de administradores de armazéns gerais e trapicheiros; a habilitação, nomeação e matrícula e seu cancelamento de Tradutor Público e Intérprete Comercial; e o processo de concessão de matrícula, seu cancelamento e a fiscalização da atividade de Leiloeiro Público Oficial e dá outras providências.

5. Decreto 13.609 de 21.10.1943, que regulamenta o ofício de Tradutor Público e Intérprete Comercial no território da República.

6. Tabela de preços de referência do Sindicato Nacional dos Tradutores.


Contato

Andrei Winograd
andrei@winograd.com.br
R. Gomes Carneiro 66/701
Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, 22071-110,
Tel. 55 (21) 985-414-223 e 2287-4223